PINGUINS ESTÃO DESAPARECENDO NA ANTÁRTIDA

PINGUINS-DE-BARBICHA NA ILHA ELEFANTE

Uma expedição realizada pelo Greenpeace à Antártida constatou que houve drásticas reduções em muitas colônias de pinguins.No último levantamento, realizado em 1971, havia 122.550 pares de pinguins em todas as colônias da Ilha Elefante, enquanto a contagem recente revelou apenas 52.786 pares, uma queda em quase 60%.

E tem mais: As dimensões da mudança da população ainda variam de colônia para colônia, na própria Ilha Elefante, e o maior declínio, de 77%, foi registrado em uma colônia conhecida como Chinstrap Camp.

A mudança climática provocou a redução do gelo marinho, por conta do aquecimento dos oceanos, o que significou, ainda, menos krill, que é o principal componente da dieta dos pinguins.

Krill, minúsculo camarão e favorita comida dos pinguins, está diminuindo drasticamente por conta do aquecimento excessivo das águas do mar

Atualmente, dois navios do Greenpeace estão na Antártida com pesquisadores trabalhando a bordo: os quebra-gelo Esperanza e Arctic Sunrise. Os pesquisadores independentes, auxiliados por ativistas do Greenpeace, descobriram que todas as colônias de pinguins pygoscelis antárticos examinadas na Ilha Elefante estão diminuídas

Conhecendo o Greenpeace

Um grupo formado por ecologistas, jornalistas e hippies reuniu-se em 1971 para protestar contra os testes nucleares dos Estados Unidos na costa do Alasca. A força e determinação dessas 12 pessoas, o sangue ativista e uma pequena embarcação de pesca alugada, foram os ingredientes perfeitos para o surgimento do Greenpeace

Apesar de terem sido interceptados pela Guarda Costeira americana, esses ativistas ousados entraram para a história, trazendo atenção mundial para os perigos dos testes nucleares, que resultou na criação de um santuário de pássaros na região.

Depois disso, nunca mais o Greenpeace parou de lutar por nossas florestas, oceanos e pelo clima

Hoje, 46 anos depois do primeiro protesto, o pequeno grupo de 12 ativistas ganhou o reforço de mais de 2.500 pessoas, que trabalham e lutam em mais de 50 países com o mesmo DNA de ativismo e pacifismo.

O pequeno barco de pesca foi transformado em 3 incríveis embarcações que dão suporte a todas as pesquisas, investigações e ações do Greenpeace em alto mar

O Greenpeace no Brasil

Atuando por aqui já há 25 anos, o Greenpeace tem por meta confrontar o desmatamento ilegal na Amazônia, indústrias de petróleo e de energia nuclear, produtores de transgênicos e projetos que ameaçam o meio ambiente e as comunidades tradicionais. Tudo para que não existam retrocessos que abalem a nossa sobrevivência e vida neste planeta.

São três escritórios do Greenpeace em locais que permitem a atuação de formas efetivas, visando problemas locais e melhorias para a população: Manaus, Brasília e São Paulo.

Em Manaus funciona o escritório de campo que conta com botes para navegar nos rios e monitorar o desmatamento da Amazônia.

Em Brasília, o escritório que acompanha de perto as decisões políticas que podem colocar em risco florestas em sua totalidade, rios e mares

Já em São Paulo, o escritório do Greenpeace, que é a sede no Brasil, conta com apoio técnico para ações, mobilizações e pesquisas, além de comunicação e distribuição de fotos e vídeos para todo país

Além de São Paulo, Brasília e Manaus, o Greenpeace está presente em mais de 600 cidades, graças ao trabalho de mais de 3.000 voluntários em todo o Brasil

Arctic Sunrise: um dos navios do Greenpeace
Este é o Esperanza
E AQUI O RAINBOW WARRIOR

O impacto dos objetos plásticos no meio ambiente

O plástico está tão presente no nosso dia a dia que raramente paramos para pensar no quanto prejudica a natureza. E os efeitos negativos causados pelo plástico podem ser muito piores do que imaginamos, sabia?

Por isso, há quase dois anos, a ONU (Organização das Nações Unidas) iniciou um movimento de conscientização global. Segundo a organização, a poluição causada pelo descarte de objetos de plástico é um dos grandes desafios da atualidade.

A primeira providência é alertar as pessoas sobre a gravidade do problema.

Vamos conferir, agora, algumas informações, chocantes, sobre o assunto com base em um estudo publicado pela renomada revista científica norte-americana Science.

índices alarmantes sobre o plástico a nível mundial

O plástico pode levar mais de 400 anos para se decompor: Como boa parte do lixo produzido pelas pessoas demora muito para se decompor e não é destinado para reciclagem, o mundo vive hoje a falta de espaço em aterros sanitários. Com isso, proliferam-se os lixões a céu aberto, contaminando a água dos rios e lençóis freáticos, o que compromete a nossa saúde

O plástico no meio ambiente também pode dificultar a decomposição de outros resíduos, reforçando ainda mais a superlotação dos aterros sanitários.

Até 2050, haverá mais plástico nos oceanos do que peixes: A superlotação de aterros também produz outro fenômeno: o “depósito” de lixo no mar. Aproximadamente 8 milhões de toneladas de plástico são descartados em nossos oceanos anualmente, desequilibrando o ecossistema marinho de várias formas, como:

  • O plástico degrada-se em partículas menores, que são ingeridas por peixes e outros animais e aves marinhas. Sem capacidade de digestão, eles morrem de forma lenta e dolorosa.
  • Em grande quantidade no mar, o plástico impede a penetração de oxigênio nos sedimentos, comprometendo também o ciclo bioquímico da flora marinha

Mais de 90 por cento do plástico utilizado no mundo não é reciclado: A produção em larga escala dos materiais sintéticos à base de plástico começou por volta dos anos 50. Desde então, estima-se que em 65 anos o mundo produziu 8,3 bilhões de toneladas de plástico, mas só reciclou 9% desse total.

Mesmo com todos os problemas já identificados, o ritmo de produção e descarte não diminui: até 2050, existirão pelo menos mais 12 milhões de toneladas de plástico no meio ambiente

No mundo, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto: Infelizmente, o ritmo de reciclagem não acompanha a produção: apenas metade das garrafas plásticas compradas em 2016 foi coletada para reciclagem. Somente 7% delas foram convertidas em novas unidades, segundo dados do jornal inglês The Guardian

Todos os anos são usadas até 500 bilhões de sacolas plásticas descartáveis: Você costuma usar sacolas plásticas no supermercado? Pois é…As sacolas plásticas são bastante úteis e até parecem inofensivas, mas causam um grande estrago no meio ambiente. Elas levam pelo menos 200 anos para se degradar, além trazerem diversos transtornos, como, por exemplo:

  • Entopem passagens de água nos córregos e bueiros, contribuindo para a retenção de lixo e enchentes em épocas de chuva.
  • São frequentemente ingeridas por aves marinhas, provocando a morte delas.
  • Como o plástico das sacolas é feito com polietileno, substância originada do petróleo, sua decomposição libera gás carbônico e polui o ambiente, além de contribuir com o efeito estufa

Fonte: Blog Senac

Morcegos? Pangolins?Estudo chinês pode ter dado uma pista decisiva para se entender a trajetória do coronavírus, da sua origem, até chegar aos humanos

pangolim: animal em extinção pode ter iniciado a epidemia do coronavírus na China

Um novo estudo sugeriu que os pangolins, um mamífero parecido com o tamanduá, são o elo mais provável entre o coronavírus, morcegos e humanos, informa a rede noticiosa alemã DW. Segundo os pesquisadores, os pangolins têm coronavírus 99% idênticos ao 2019-nCoV. Isso os torna hospedeiros reservatórios muito prováveis ​​para o vírus.

As especulações iniciais apontavam para frutos do mar, cobras e outro coronavírus transmitido por morcego da província de Yunnan, no sudoeste da China. Mas pesquisadores da Universidade Agrícola do Sul da China descobriram que uma sequência genética do vírus dos pangolins é 99% idêntica ao coronavírus que atualmente infecta mais de 31 mil pessoas. Isso significa que, antes de chegar aos seres humanos, o vírus provavelmente foi transmitido de morcegos para o pangolim, o animal mais comercializado ilegalmente no mundo.

Segundo pesquisadores, os morcegos são a fonte original mais provável do vírus mortal. Para esses cientistas, características genéticas únicas dos morcegos os tornam hospedeiros ideais do coronavírus.

Como descartar corretamente o lixo eletrônico

 

Lixo eletrônico é o nome dado aos resíduos resultantes de equipamentos eletrônicos como: computadores, celulares, televisores, rádios, etc.Esta história começou na última década, quando ninguém sabia o que fazer. Enquanto isso, quem sofreu foi o meio ambiente.Nos aterros sanitários que recebem o lixo comum, começou a surgir, aos poucos, uma nova categoria. Este lixo libera algumas substâncias, como por exemplo, mercúrio, cádmio, berílio e chumbo, prejudiciais ao meio ambiente podendo contaminar a água do subsolo, o próprio solo e a atmosfera, caso sejam queimados. E além do meio ambiente, esses minerais também podem causar danos à nossa saúde…Quer saber mais? Então, preste atenção:

Chumbo: Prejudicial ao cérebro e ao sistema nervoso. Afeta sangue, rins, sistema digestivo e reprodutor.

Ádmio: É um agente cancerígeno. Acumula-se nos rins, no fígado e nos ossos, podendo causar osteoporose, irritação nos pulmões, distúrbios neurológicos e redução imunológica.

Níquel: Causa irritação nos pulmões, bronquite crônica, reações alérgicas, ataques asmáticos e problemas no fígado e no sangue.

Mercúrio: Prejudica o fígado e causa distúrbios neurológicos, como tremores, vertigens, irritabilidade e depressão.

Zinco: Produz secura na garganta, tosse, fraqueza, dor generalizada, arrepios, febre, náusea e vômito.

Apesar do problema estar se alastrando, muitas empresas estão tentando diminuir esta situação, reutilizando algumas peças para a fabricação de novos aparelhos. Na verdade, não há uma legislação que estabeleça o destino correto para a sucata digital ou que responsabilize os fabricantes pelo seu descarte. Temos que lembrar, também, de algumas instituições e países que colaboram para essa diminuição.

Nos países desenvolvidos, há a opção de reciclar o lixo eletrônico levando seus velhos aparelhos eletrônicos a um centro de reciclagem de eletrônicos legítimo.

No Brasil foram adotadas medidas diferentes, como procurar centros de reciclagem autorizados ou instituições que trabalham com população carente e fazem um bom uso tanto do computador montado como desmontado, por exemplo.

Mas, infelizmente, não é todo mundo que faz o descarte correto. É comum vermos pessoas abandonando o lixo eletrônico em qualquer lugar na rua, o que comprova que ainda falta muita educação ao povo brasileiro.

Reúso da água é essencial para o meio ambiente

 

reúso da água é novidade para você ou já ouviu falar dessa técnica alguma vez? Reúso da água nada mais é do que a reutilização desse bem tão precioso e que, novamente esse ano, está desaparecendo de nossos reservatórios.

Se pra você o reúso da água é novidade, então saiba que a técnica já é praticada em todo o mundo há muitos e muitos anos. Existem relatos da Grécia Antiga, com a disposição de esgotos e sua utilização na irrigação. No entanto, a demanda crescente por água tem feito do reuso planejado da água um tema atual e de grande importância.

Neste sentido, deve-se considerar o reúso da água como parte de uma atividade mais abrangente que é o uso racional ou eficiente da mesma.

Dentro dessa ótica, os esgotos tratados têm um papel fundamental no planejamento e na gestão sustentável dos recursos hídricos como um substituto para o uso de águas destinadas a fins agrícolas e de irrigação, entre outros.

Ao liberar as fontes de água de boa qualidade para abastecimento público e outros usos prioritários, o uso de esgotos contribui para a conservação dos recursos e acrescenta uma dimensão econômica ao planejamento dos recursos hídricos.

O reúso reduz a demanda sobre os mananciais de água devido à substituição da água potável por uma água de qualidade inferior.

Utilizando a água Reciclada

Irrigação paisagística: parques, cemitérios, campos de golfe, faixas de domínio de auto-estradas, campus universitários, cinturões verdes, gramados residenciais.

Irrigação de campos para cultivos: plantio de forrageiras, plantas fibrosas e de grãos, plantas alimentícias, viveiros de plantas ornamentais, proteção contra geadas.

Usos industriais: refrigeração, alimentação de caldeiras, água de processamento.

Usos urbanos não-potáveis: irrigação paisagística, combate ao fogo, descarga de vasos sanitários, sistemas de ar condicionado, lavagem de veículos, lavagem de ruas e pontos de ônibus, etc.

Importância da reciclagem para o meio ambiente

A importância da reciclagem para o meio ambiente também está ligada ao desenvolvimento sustentável, que engloba, também, aspectos sociais e econômicos. Quando descartamos produtos de forma adequada, agregamos valor ao processo e ao material, já que melhoramos os índices de reaproveitamento, barateamos o custo de produção e estimulamos o crescimento da reciclagem.

O reaproveitamento ou reutilização de resíduos consiste em transformar um determinado material já beneficiado em outro.

O Brasil produz mais de 240 mil toneladas de lixo por dia, dos quais 45% é reciclável, e desse total, reciclamos somente 2 por cento do lixo urbano produzido.

Do ponto de vista econômico, a reciclagem motiva o aumento de riquezas, uma vez que as empresas usam desse processo para redução de custos no processo produtivo, à medida que contribuem para a preservação do meio ambiente. Com a fabricação de produtos reciclados, há a preservação da natureza, redução da poluição e contaminação do solo, além da economia de energia.

E as vantagens da reciclagem são muitas. As maiores, no entanto, estão diretamente ligadas à minimização da utilização de fontes naturais e da quantidade de resíduos que necessita de tratamento final, como é o caso de aterros e incineradores, contribuindo, mais uma vez, para a preservação do meio ambiente.

A sustentabilidade estimula as formas alternativas de reciclagem, além da armazenagem em local autorizado para tratamento. Ela pode ser a solução para o lixo inorgânico.

Uma forma de fazer a reciclagem doméstica é reaproveitar as garrafas de plástico, já que com elas podemos fazer decoração ou até mesmo artesanato

E já quem tem a felicidade de residir em áreas com quintal grande e bastante terra, pode também cultivar o hábito de enterrar boa parte do lixo orgânico, que irá se transformar em adubo natural.

Viu só quantas ideias, quanta informação pra  você que está querendo cuidar mais do meio ambiente?A verdade é que a grande maioria dos materiais que simplesmente descartamos no lixo podem e devem ser reciclados.

Agindo assim, todos temos a ganhar: você, eu e o nosso meio ambiente!!!

COMO DESCARTAR CORRETAMENTE MEDICAMENTOS VENCIDOS

imagem que mostra vários tipos de medicamentos
Todo medicamento fora do prazo de validade deve ser descartado corretamente

O QUE VOCÊ COSTUMA FAZER TODA VEZ QUE TEM QUE DESCARTAR ALGUM MEDICAMENTO VENCIDO?

JOGA NO LIXO DA COZINHA? ABRE A CAIXINHA E DESCARTA O QUE TEM DENTRO NO VASO SANITÁRIO?

SE VOCÊ FAZ ASSIM, SAIBA QUE ESTÁ COMETENDO UM ERRO DAQUELES!!!

ALIÁS, A MAIORIA DOS BRASILEIROS DÁ O MESMO DESTINO AOS REMÉDIOS QUE NÃO SÃO MAIS UTILIZADOS OU PERDERAM A VALIDADE. MAS VASO SANITÁRIO E LATA DO LIXO NÃO SÃO LUGARES IDEAIS PARA EFETUAR O DESCARTE, JÁ QUE O REMÉDIO DESCARTADO LIBERA SUBSTÂNCIAS TÓXICAS QUE PODEM CONTAMINAR O MEIO AMBIENTE E CAUSAR PROBLEMAS DE SAÚDE.

POR ISSO, NÃO PODEM SER TRATADOS COMO LIXO COMUM. TRATAR INCORRETAMENTE ESSES RESÍDUOS PODE CONTAMINAR O SOLO, LENÇÓIS FREÁTICOS, LAGOS, RIOS E REPRESAS, E ATINGIR A FAUNA E FLORA QUE PARTICIPAM DO CICLO DE VIDA DA REGIÃO AFETADA. O DESCARTE ALEATÓRIO DE MEDICAMENTOS, VENCIDOS OU NÃO, PODE AFETAR DIVERSOS ECOSSISTEMAS.

OS SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA AINDA NÃO DÃO CONTA DE ELIMINAR ALGUMAS SUBSTÂNCIAS E ELAS ACABAM ATINGINDO RIOS E MARES. O DESCARTE NO LIXO SIMPLES NÃO É DIFERENTE, JÁ QUE O CHORUME DISSOLVE E ABSORVE OS PRODUTOS QUÍMICOS QUE MUITAS VEZES ATINGEM O LENÇOL FREÁTICO.
ANUALMENTE, MILHÕES DE MEDICAMENTOS SÃO DESCARTADOS DE FORMA IRREGULAR.

VÁRIOS ESTUDOS DIVULGADOS EM DIVERSOS PAÍSES TÊM DEMONSTRADO A PRESENÇA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS NA ÁGUA, SENDO QUE O CICLO DE VIDA DOS PRODUTOS FARMACÊUTICOS FOI ANALISADO E DETERMINADO QUE A MAIOR CONTRIBUIÇÃO PARA A PRESENÇA DESSAS SUBSTÂNCIAS NO AMBIENTE NÃO SÃO AS OPERAÇÕES DE FABRICAÇÃO, MAS O USO E AS AÇÕES DOS CONSUMIDORES. ASSIM, PELO PRINCÍPIO DA PRECAUÇÃO, DEVEM SER TOMADAS MEDIDAS PARA QUE A SITUAÇÃO NÃO PIORE.

PROCURE SE INFORMAR SE NA SUA CIDADE JÁ EXISTEM PONTOS DE COLETA OU DESCARTE DE MEDICAMENTOS VENCIDOS. MUITAS FARMÁCIAS E DROGARIAS TAMBÉM ACEITAM ESSES REMÉDIOS QUE PERDERAM A VALIDADE.

MINIMALISMO E A RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE

VOCÊ SABE O QUE É MINIMALISMO E QUAL SUA RELAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE?

VAMOS CONHECER UM POUCO MAIS DESSE ASSUNTO?

O MINIMALISMO PODE SER CONSIDERADO UMA CULTURA , UM ESTILO DE VIDA QUE TEM COMO LEMA “NÃO ACUMULAR E CONSUMIR DE FORMA CONSCIENTE”, EVITANDO A CONCENTRAÇÃO DE OBJETOS E MOSTRANDO A REAL IMPORTÂNCIA DE CADA ITEM ADQUIRIDO.

ESSE ESTILO DE VIDA, PORÉM, NÃO SE RESUME APENAS EM REDUZIR A COMPRA DE BENS MATERIAIS: TRATA-SE DE ADOTAR UMA VIDA SIMPLES E MARCADA PELO CONSUMO CONSCIENTE.

ESTE ESTILO DE VIDA TAMBÉM COLABORA POSITIVAMENTE PARA A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, UMA VEZ QUE INCENTIVA AS PESSOAS A CONSUMIREM APENAS O QUE REALMENTE PRECISAM, EXIGINDO MENOS DA CADEIA PRODUTIVA QUE EXPLORA OS RECURSOS NATURAIS COMO MATÉRIA-PRIMA. ALÉM DISSO, O MINIMALISMO INCENTIVA A CONSCIENTIZAÇÃO E PROMOÇÃO DA RESPONSABILIDADE, JÁ QUE TAMBÉM DEFENDE O MELHOR USO DE RECURSOS COMO ÁGUA POTÁVEL

JÁ QUE FALAMOS DE CONSUMO CONSCIENTE, SERÁ QUE VOCÊ ESTÁ PRATICANDO UM POUQUINHO DISSO NO SEU DIA A DIA?

BORA CONFERIR ALGUMAS DICAS?

A PRIMEIRA DELAS E TALVEZ A MAIS COMUM SEJA A RECICLAGEM DO LIXO EM SUA CASA…SE CADA FAMILIA ADERIR A ESSA PRÁTICA JÁ ESTARÁ CONTRIBUINDO PRA REDUZIR ATÉ UMA TONELADA NA QUANTIDADE DA EMISSÃO DE DIÓXIDO DE CARBONO NA ATMOSFERA, ANUALMENTE.

OUTRA GRANDE DICA…JOGUE MENOS COMIDA FORA: ATÉ 60% DO LIXO GERADO NOS LARES BRASILEIROS É COMPOSTO POR RESTOS DE ALIMENTOS. RECEITAS NUTRITIVAS PODEM SER FEITAS APROVEITANDO-SE CASCAS, TALOS E RESTOS DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS

DE OLHO NA GELADEIRA: REGULE O TERMOSTATO DE SUA GELADEIRA. QUANDO NÃO HÁ LOTAÇÃO DE ALIMENTOS NO APARELHO, A REFRIGERAÇÃO PODE SER MÍNIMA, O QUE PROPORCIONA UMA REDUÇÃO CONSIDERÁVEL NO GASTO ENERGÉTICO…

MÁQUINA DE LAVAR: SOMENTE UTILIZE A MÁQUINA DE LAVAR QUANDO ESTA ESTIVER COM SUA CAPACIDADE MÁXIMA DE ROUPAS. LEMBRE-SE QUE CADA CICLO DE LAVAGEM CONSOME EM TORNO DE 150 LITROS DE ÁGUA…É MUITA COISA NÉ?

DÊ PREFERÊNCIA PARA AS LÂMPADAS LED: SE COMPARADAS ÀS LÂMPADAS COMUNS, AS LÂMPADAS LED TÊM UM CONSUMO ENERGÉTICO ATÉ 50% MENOR, AO PASSO QUE SUA VIDA ÚTIL É MUITO MAIOR.

PONTOS DE SUSTENTABILIDADE: EM SUA CASA, DURANTE O DIA, DÊ PREFERÊNCIA PARA A ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO NATURAL.. O AQUECIMENTO DA ÁGUA PODE SER REALIZADO POR MEIO DA LUZ SOLAR, AO PASSO EM QUE A ÁGUA DA CHUVA TAMBÉM PODE SER SEMPRE REAPROVEITADA ATRAVÉS DE SUA CAPTAÇÃO.

PRONTO: ESSAS FORAM ALGUMAS DICAS SIMPLES QUE PODEM FAZER MUITA DIFERENÇA A MÉDIO E LONGO PRAZOS…MAS VOCÊ TEM QUE TER CONSCIÊNCIA E PRATICAR!!!

Brasil ocupa a sexta posição entre os países que mais emitem gases estufa no mundo

Sétima edição do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa apontou que somos o sexto país que mais emite gases do efeito estufa em todo o mundo. Após dois anos de quedas sucessivas, as emissões aumentaram 0,3 por cento em 2018, índice esse puxado pela mudança de uso do solo, responsável por 44 por cento das emissões do Brasil.

Isso significa que 44% das emissões de gases poluentes do país no ano passado estão ligadas ao desmatamento (mudança de floresta para área degradada) e degradação de solo, entre outros.

De acordo com dados da plataforma Mapbiomas, de 2017 para 2018 o Brasil perdeu 109,3 milhões de hectares de florestas. Desse total, 75,2 milhões viraram pastagens.

O ranking é liderado pela China, responsável por 23,% das emissões globais, seguida pelos Estados Unidos, India, Indonésia e Rússia.

Estados mais poluentes

No ranking de estados mais poluentes, Pará, Mato Grosso e Minas Gerais aparecem na liderança, sendo responsáveis por 12,3%, 11,9% e 9,9%, sucessivamente, também impulsionadas pelas emissões ligadas ao uso da terra.

Se excluída esta área, São Paulo se torna o estado mais poluente, responsável por 14,1% das emissões do país, impulsionada principalmente pelo setor de energia, seguido por Minas Gerais (10,9%) e Rio Grande do Sul (7,2%)

O ranking é liderado pela China, responsável por 23,% das emissões globais; seguida por Estados Unidos (12,9%); Índia (6,5%); Indonésia (5,1%); e Rússia (4,2%)

Compreendendo o termo, Efeito Estufa:

efeito estufa é um processo importante para a existência da vida na Terra na forma em que a conhecemos. Sem ele, a temperatura média do planeta seria em torno de 18°C negativos. Para efeito de comparação, a temperatura média global próxima à superfície é de 14ºC. Se hoje estamos vivos é devido ao efeito estufa, que mantém o planeta habitável. No efeito estufa, a radiação solar que atinge a atmosfera interage com os gases ali presentes. Nessa interação, os chamados gases de efeito estufa absorvem a radiação solar e passam a emitir de volta para a superfície terrestre radiação infravermelha, ou, melhor dizendo, calor.Somente parte desse calor (radiação infravermelha) consegue sair da atmosfera e voltar para o espaço – e é assim que a Terra consegue manter sua temperatura.

Alguns exemplos desses gases que interagem com a radiação solar são dióxido de carbono(CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O) e a família dos CFCs (CFxCly)

A temperatura média global se mantém praticamente inalterada quando o balanço da quantidade de energia solar incidente e de energia refletida na forma de calor está equilibrado. Entretanto, esse equilíbrio pode ser desestabilizado de várias formas: pela mudança na quantidade de energia que chega à superfície terrestre; pela mudança na órbita da Terra ou do próprio Sol; pela mudança na quantidade de energia que chega à superfície terrestre e é refletida de volta para o espaço, devido à presença de nuvens ou de partículas na atmosfera (também chamadas de aerossóis, que resultam de queimadas, por exemplo); e pela alteração na quantidade de energia de maiores comprimentos de onda refletida de volta ao espaço, devido às mudanças na concentração dos gases de efeito estufa na atmosfera

FONTE: MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE