Morcegos? Pangolins?Estudo chinês pode ter dado uma pista decisiva para se entender a trajetória do coronavírus, da sua origem, até chegar aos humanos

pangolim: animal em extinção pode ter iniciado a epidemia do coronavírus na China

Um novo estudo sugeriu que os pangolins, um mamífero parecido com o tamanduá, são o elo mais provável entre o coronavírus, morcegos e humanos, informa a rede noticiosa alemã DW. Segundo os pesquisadores, os pangolins têm coronavírus 99% idênticos ao 2019-nCoV. Isso os torna hospedeiros reservatórios muito prováveis ​​para o vírus.

As especulações iniciais apontavam para frutos do mar, cobras e outro coronavírus transmitido por morcego da província de Yunnan, no sudoeste da China. Mas pesquisadores da Universidade Agrícola do Sul da China descobriram que uma sequência genética do vírus dos pangolins é 99% idêntica ao coronavírus que atualmente infecta mais de 31 mil pessoas. Isso significa que, antes de chegar aos seres humanos, o vírus provavelmente foi transmitido de morcegos para o pangolim, o animal mais comercializado ilegalmente no mundo.

Segundo pesquisadores, os morcegos são a fonte original mais provável do vírus mortal. Para esses cientistas, características genéticas únicas dos morcegos os tornam hospedeiros ideais do coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *