Tartaruga-de-couro desova em duas praias de Itanhaém, litoral paulista

Tartaruga-de-couro desova em Itanháem, litoral paulista

Faz 25 dias que uma tartaruga-de-couro desovou na praia do Suarão, em Itanhaém, cidade do litoral sul paulista.

Foi uma surpresa e tanto para os moradores da região e, também, sorte alguém ter visto essa tartaruga e acionado o Instituto Biopesca, que executa o Projeto de Monitoramento de praias da Bacia de Santos.

Desde 19 de fevereiro, os profissionais da Organização estão fazendo o monitoramento do ninho, dia e noite, e torcendo para que a eclosão dos ovos ocorra.

Sobre a tartaruga-de-couro

A espécie, muito comum no litoral do Espírito Santo, já teve registros de desova no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul e, agora, na Baixada Santista. Essa tartaruga-de-couro encontrada em Itanhaém é classificada como animal Criticamente em Perigo de Extinção. Além disso, segundo o Instituto Biopesca, trata-se de uma espécie oceânica, ou seja, não costuma ficar próxima à costa, e por isso foi uma surpresa encontra-la realizando a desova no litoral de São Paulo.

Essa tartaruga gigante que desovou em Itanhaém tem aproximadamente 300 quilos e 1,77m de comprimento. Ela foi anilhada- procedimento que favorece estudos para a conservação da espécie- e voltou para o mar.

Duas semanas depois, a surpresa!!!

Após ter feito uma desova na praia do Suarão, a mesma tartaruga-de-couro voltou na noite do dia 05 de março, uma sexta-feira, à outra praia de Itanháem, no Jardim Satélite, a dois quilômetros de onde está o primeiro ninho. E alí fez uma nova postura!!!

A equipe do Biopesca foi novamente acionada e quando chegou ao local, a tartaruga estava fechando o ninho. Assim como da primeira vez, a desova durou cerca de 3 horas.

Esse local também permanece isolado e cercado, sendo monitorado, igualmente ao primeiro, dia e noite.

Nós da Rádio Ecosystem resolvemos ir até Itanhaém ver de perto os dois ninhos da tartaruga-de-couro:

Primeiro ninho tartaruga-de-couro, praia do Suarão. Foto: Joni Oliveira
Segundo ninho…praia do Satélite. Foto: Joni Oliveira

Até 30 de março, o estado de São Paulo estabeleceu que todas as praias devem ser fechadas para evitar aglomerações e, dessa forma, combater a disseminação da covid-19.

Essa determinação está sendo seguida à risca pelo Instituto Biopesca e se você quiser ficar mais informado diariamente, basta seguir o Instituto nas redes sociais (facebook e/ou Instagram ).

Vale informar, ainda, que nós estivemos por lá, nos informando e fazendo esses registros, dias atrás, antes da nova resolução do governo do estado.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *