Virada Sustentável 2020

 

Teve início nesta quarta, 16 de setembro, em São Paulo, a décima edição da Virada Sustentável.

E a comemoração dos 10 anos da Virada Sustentável acontece neste momento histórico da humanidade, onde é necessário, mais do que nunca, pensar e refletir sobre o que fazemos de forma coletiva, os limites do nosso planeta e para onde estamos caminhando. Para André Palhano, idealizador do evento, o respeito do meio ambiente, consumo consciente, diversidade irrestrita, desigualdade social e o cuidado com nossa saúde, são os pilares da edição da Virada Sustentável 2020.

Durante a primeira semana, o público vai se deparar com intervenções artísticas, que de maneira lúdica, buscam levar as pessoas a refletir sobre as mudanças climáticas. Para chamar atenção para este assunto, o Largo da Batata acolhe “Eggcident”, intervenção idealizada pelo artista holandês Henk Hofstra composta por ovos fritos gigantes estalados no asfalto

Neste período, o local também recebe a instalação “Olha pro céu, meu Amor”, um túnel que convida os pedestres a lerem frases escritas sobre Consumo Consciente.

O Amanhã da Paz, uma meditação global simultânea, acontece com a participação de mais de 200 lideranças espirituais e religiosas, professores e múltiplos porta-vozes da cultura de paz, em parceria com a Virada Zen, celebrando o Dia Internacional da Paz, em 21 de setembro, abrindo a programação da segunda semana do evento.

Já os muros do Jardim Gaivotas, no distrito do Grajaú, recebem o Da Margem à Margem, três murais grafitados pelos coletivos culturais Salve Selva, Ateliê Daki e Imargem.

Também integram a programação da terceira semana o Cem Minas na Rua, na Lapa, em que 22 mulheres grafitam 150 metros lineares de murais da região. Houve uma diminuição do número de participantes por conta da pandemia e para que o distanciamento e as normas de segurança específicas para este período fossem respeitados

Carreata Poética no início de outubro

No dia 2 de outubro, em parceria inédita, o Memorial Inumeráveis e VJ Suave se unem para apresentar uma obra cuja narrativa ganha vida na arquitetura dos prédios, casas, árvores e superfícies na noite da cidade de São Paulo com as projeções da dupla VJ Suave. O conteúdo escrito é fruto do relacionamento do Inumeráveis com lideranças indígenas que perderam seus parentes por COVID-19 e que contaram suas histórias íntimas e suas lutas. Entre os dias 2 a 4 de outubro, ocorre o Festival de Luzes de São Paulo, o principal festival nacional de projeções mapeadas da cidade, que traz o tema “Uma Visão do Futuro” misturando arte, tecnologia e arquitetura.

Este período também conta com uma remada histórica no Rio Pinheiros, ação que destaca a importância da despoluição de seus afluentes para que o rio volte a viver e quem sabe, seja um ponto de encontro do paulistano em um futuro próximo

No sábado, 3 de outubro, a carreata poética sai do Centro Cultural Grajaú em direção ao Masp em homenagem à Carolina Maria de Jesus, em que trechos de seu livro “Quarto de Despejo” serão lidos por 9 poetas da zona sul da cidade, acompanhadas da filha da autora, a professora Vera Eunice.

Fórum Virada Sustentável adaptado para plataforma digital

Por conta da pandemia, para evitar aglomerações e em respeito às orientações das autoridades da saúde, esse ano, o festival apresenta toda a sua programação de conhecimento, o Fórum Virada Sustentável, em plataforma digital, ampliando a possibilidade de participação para pessoas de fora de São Paulo. Todas as atividades contam com tradução em Libras e tradução simultânea nas palestras de convidados internacionais. Durante o Fórum, serão realizadas palestras sobre economia circular, mudanças climáticas, meio ambiente, futuro do trabalho, diversidade e inovação social, dentre outros temas.

Para participar, os interessados precisam se inscrever gratuitamente na atividade de interesse no site da Virada Sustentável: www.viradasustentavel.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *